Justiça nega liberdade a tatuador e pedreiro acusados de tatuar e filmar menor


A Justiça de São Paulo negou nesta semana, pela segunda vez, o pedido de liberdade provisória a dois réus acusados de tatuar um adolescente à força e filmar a tortura no último dia 9 de junho, em São Bernardo do Campo (SP). 

A informação foi confirmada por Marcos Antonio dos Santos, advogado do tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos. Ele escreveu “eu sou ladrão e vacilão” na testa do menor, de 17 anos. O indeferimento do pedido também valeu para o pedreiro Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos – a primeira negativa foi em junho, ainda referente à decisão de primeira instância.
Fonte: Bahia Notícias. 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

IDENTIFICADA A VÍTIMA DE HOMICÍDIO NA FEIRA DO ALTO DA MARAVILHA