sábado, 8 de julho de 2017

EQUIPAMENTO FALHA E GARIMPEIROS FICAM FERIDOS EM JAZIDA DE AMETISTAS EM SENTO-SÉ


Foto: arquivo
Dois garimpeiros que trabalhavam na jazida de ametistas que foi descoberta em abril deste ano, na cidade de Sento Sé, região norte da Bahia, ficaram feridos após um equipamento usado na exploração do local apresentar um defeito, na tarde desta sexta-feira (7). A informação foi passada ao G1 pela Polícia Civil. De acordo com a polícia, a máquina travou durante o trabalho e acabou atingindo os dois homens. Após o acidente, os trabalhadores foram socorridos e levados para o Hospital Municipal de Sento Sé, no centro da cidade.
Segundo a polícia, após avaliação inicial, um dos garimpeiros precisou ser transferido para o Hospital de Urgências e Traumas, em Petrolina (PE). Não há informações sobre o estado de saúde dele. O outro homem foi atendido na unidade de saúde, em Sento Sé, e, em seguida, recebeu alta. Este é o segundo acidente registrado na região desde que se iniciou a exploração da jazida. No dia 13 de junho, outros três garimpeiros se feriram por conta do desmoronamento em um dos buracos cavados na região.
Descoberta
A jazida de ametistas foi descoberta em abril deste ano. Ela fica localizada na Serra da Quixaba, a cerca de 54 km do centro de Sento Sé. O local não possui infraestrutura, mas isso não preocupa os garimpeiros de todo o país, que lotaram os hotéis e pousadas do município, para tentar achar ametistas no local. O valor do aluguel de imóveis passou de R$ 400 para R$ 1.500, em média. Desde a descoberta, quase oito mil pessoas chegaram à cidade, para a exploração da mina. Com isso, novos garimpos foram abertos na região. Alguns deles, em áreas urbanas, por pessoas em busca de outros tipos de minerais, como pedras semipreciosas.
Com a procura, os cerca de dois mil moradores da cidade estão preocupados, porque as escavações já se aproximam das residências do povoado. É possível ver buracos sendo cavados a menos de 400 metros de casas.
Ilegalidade
No final de junho, após encontrar irregularidades na atuação dos garimpeiros que estão na jazida de ametistas, o Departamento Nacional de Produção Mineral da Bahia (DNPM) decidiu autuar e interditar parte do local.O superintendente do DNPM na Bahia, Raimundo Sobreira, detalhou que o órgão autuou onze buracos, também chamados de cortes, feitos e usados pelos garimpeiros para entrar e colher as ametistas. Segundo ele, no local há entre dois a três mil buracos.
Agentes do departamento visitaram o local pela primeira vez no dia 17 de maio, quando iniciaram o processo de legalização da mina, que ainda não foi concluído, ou seja, a jazida continua ilegal. O estudo da extensão do garimpo continua e os agentes acreditam que os trabalhadores exploram uma área com cerca de 20 hectares.
Outro processo importante para a legalização da mina é que os garimpeiros se cadastrem na cooperativa da cidade que já existe no município desde 2008. A organização já reuniu documentos com dados da cooperativa e de integrantes, para entregar a DNPM. Conforme Sobreira, a entrega da documentação está em andamento e não há previsão de quando a jazida será legalizada.
Fonte: G1 Bahia

Postar um comentário

Postagem em destaque

Tiroteio após jogo de futebol deixa mulher morta e vários feridos no interior da Bahia

Um tiroteio na tarde deste domingo (24), no bairro Daniel Gomes em Itabuna, deixou pelo menos seis pessoas feridas e uma mulher morta. De ...