"Se quiserem, me derrubem", diz Temer a jornal

O presidente Michel Temer afirmou novamente, desta vez em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo" publicada na edição desta segunda-feira (22), que não irá renunciar ao mandato. Segundo ele, renunciar seria assumir culpa. "Se quiserem, me derrubem, porque, se eu renuncio, é uma declaração de culpa”, afirmou.

Temer enfrenta a maior crise política de seu mandato, desencadeada pelas delações dos empresários e donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, que o citam e o tornaram alvo de um inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de organização criminosa, corrupção passiva e obstrução à justiça.

De acordo com o inquérito, Joesley gravou a conversa de uma reunião com o presidente no Palácio do Jaburu, no dia 7 de março, na qual, segundo o procurador-geral da República Rodrigo Janot, demonstra que Temer consentiu o pagamento de propina mensal por Joesley para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, preso pela Lava Jato em Curitiba.

'Não renunciarei', diz Michel Temer em pronunciamento após gravação (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)

Ingenuidade e inocência 

0