Pular para o conteúdo principal

Policial: Condenados a 22 anos os jovens que atiraram e tentaram roubar policial feminina em Juazeiro(BA)
O Juiz da Primeira Vara Criminal de Juazeiro, Eduardo Ferreira Padilha, expediu no último dia 13 de março sentença da tentativa de latrocínio contra a Sub Tenente Carla Sena, ocorrida no dia 5 de de outubro do ano passado, próximo a área bancária em Juazeiro(BA). O caso foi julgado em tempo recorde. Em pouco mais de 90 dias, o magistrado condenou os réus numa sentença de 19 páginas. José Edson Cardeal Magalhães Carvalho Junior, de 20 anos, foi condenado a 22 anos(pena base). Com os atenuantes, deverá cumprir dez anos de prisão. Como o crime de tentativa de latrocínio é equiparado a crime hediondo, ele irá cumprir dois quintos da pena, ou seja, pouco mais de 4 anos em regime fechado.
O outro réu, Manoel Felipe dos Santos Conceição Junior, de 18 anos, também teve 22 anos como pena base e deverá cumprir 13 anos e 4 meses. Destes, 6 anos em regime fechado.
A Sub Tenente Carla Sena falou ao Portal Preto No Branco sobre a decisão judicial “Eu sempre acreditei que a justiça seria feita. Eu estou aqui para contar a história, mas poderia ter perdido minha vida. O trabalho da justiça e do MP foram exemplares. Em tempo recorde o caso foi julgado. Uma prova de que ainda devemos acreditar nas instituições do nosso país”, declarou a policial.
O juiz não concedeu aos réus o direito de apelar em liberdade.
O crime
No dia 5 de outubro de 2016 , Manoel Felipe dos Santos Conceição e José Edson Cardeal Magalhães Carvalho abordaram a policial quando ela saia de uma agência bancária em Juazeiro(BA) e segundo informações, atiraram na vítima para roubar o seu veículo. A Sub Tenente Carla Sena foi atingida com um tiro na região do braço e passou por uma cirurgia. Durante o assalto, a policial atingiu um dos acusados na perna.Os dois jovens foram presos no dia do crime e permaneceram no Conjunto Penitenciário de Juazeiro.
Pretonobranco
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

IDENTIFICADA A VÍTIMA DE HOMICÍDIO NA FEIRA DO ALTO DA MARAVILHA