quarta-feira, 6 de julho de 2016

Homem é encontrado morto na estrada que liga Ruy Barbosa a Ibiaporã de Mundo Novo


O corpo de um homem, identificado como Patrício da Silva Rocha, foi encontrado na estrada que liga a cidade de Ruy Barbosa ao distrito de Ibiaporã (Bonita) do município de Mundo Novo. 

O reconhecimento teria sido feito pela esposa de Patrício, que o reconheceu através de fotos e disse que ele teria saído de casa por volta das 13 horas desta terça-feira, 05 de julho de 2016.

O homem estava com os braços para trás, amarrados com uma corda. O corpo foi encaminhado para o DPT de Itaberaba.
Fonte: Blog do Léo Barbosa

Caminhão tomba na BA-130, perto de Mairi



Nesta quarta-feira, 06 de julho de 2016, por volta das 03 horas da madrugada, um caminhão Volvo VM 260, que estava carregado de manga, tombou na curva do km 50, da BA-130, trecho que liga Mairi a Baixa Grande.

O acidente aconteceu próximo a fazenda de Nézio Carneiro, localizada a cerca de 2 km de Mairi-BA. O caminhão seguia de Juazeiro da Bahia para Brasília.

O motorista identificado como Anderson Gonçalves da Cruz, de 34 anos, natural de São Paulo, não sofreu ferimentos. Segundo ele, a corda que segurava a carga quebrou e o caminhão tombou.

Da redação do Blog Agmar Rios.

Homem é assassinado a tiros na Av ACM em Capim Grosso



Nesta quarta-feira (06) por volta das 13h50min, um homem identificado como sendo Silvestre Andrade da Cruz, 27 anos, foi atingido por disparos de arma de fogo, na esquina da Av. ACM com a Rua São Salvador, vindo a óbito após ser socorrido até a UPA.Segundo informações de populares, a vítima estava recluso em Jacobina e hoje pela manhã foi libertado pela justiça, ao descer de um transporte alternativo na Av. ACM, Silvestre foi abordado por um indivíduo que disparos 3 tiros contra o corpo do mesmo, que ainda teve forças para fugir correndo pela Rua São Salvador caindo na esquina com a Rua Francisca Turíbio, onde foi socorrido por populares e transportado até a UPA24 HORAS, onde veio a óbito. o autor dos disparos fugiu em um veículo que estava a sua espera na pista oposto da Av. ACM.Ainda segundo informações Silvestre residia em Várzea da Roça, sendo que seu pai estava à sua espera para leva-lo para casa.
A Polícia esteve no local e começou as diligência para identificar e capturar o criminoso.
Fonte: Augusto Urgente

Noivo da professora Ienata é preso enquanto realizava exames de corpo de delito em Serrinha



O delegado titular da Delegacia Territorial de Riachão do Jacuípe, Sérgio Araújo de Vasconcelos, solicitou da justiça a prisão temporária de Cássio Fabrício de Almeida, 30 anos, noivo da professora Ienata Rios, tido como principal suspeito de sua morte, cujo corpo foi encontrado no inicio da tarde de domingo, 03, na casa onde morava sozinha, na cidade de Riachão do Jacuípe, com requinte de crueldade. A educadora recebeu mais de 20 facadas e ainda foi deixada a faca cravada no pescoço da vítima.

Cássio desde o momento do crime tem sido segundo o delegado o principal suspeito, pois, ao ser ouvido no mesmo dia, a Policia verificou arranhões no seu rosto característico de unhada, e após apurar encontrou outras pistas que estão sendo investigadas.

Questionado pelo delegado sobre a lesão, ele respondeu não ter reparado. “Demos uma guia para ele fazer exame de corpo de delito”, explicou o titular. Eles estavam juntos há três anos e costumavam se ver nos finais de semana e feriados

A prisão aconteceu na manhã desta quarta-feira, 06, quando o mesmo passava por exames de corpo de delito para descobrir a origem dos arranhões.

De acordo com o agente Civil Cristóvão, o mesmo continua negar a autoria do crime, mas a prisão temporária é necessária para este momento de intensa investigação.

Cássio participou do sepultamento

Cássio esteve durante todo tempo ao lado do caixão até o sepultamento que aconteceu às 12h de terça-feira, no cemitério de Pé de Serra. No domingo ele teria dito a Policia que quando soube da morte de Ienata estaria na cidade de Dias d’ávila. Ao CN durante o levamento cadavércio, disse que o seu último contato com Ienata teria sido pelo WhatsApp às 18h30 de sábado, dia anterior da morte. Fonte: Calila Notícias.

Jovem fica ferido vítima de colisão entre moto e carro na cidade de Serrolândia


Na tarde desta quarta-feira, um jovem de prenome Ytalo ficou ferido, vítima de colisão entre moto e um veículo Scort em Serrolândia.

Segundo informações, Ytalo seguia em uma moto quando colidiu frontalmente com o veículo na BA 417, em frente ao Posto de Combustíveis de Serrolândia. Ainda de acordo com informações, após os primeiros procedimentos no Hospital Municipal de Serrolândia, o jovem foi transferido para Jacobina com suspeita de traumatismo craniano.
Fonte: Augusto Urgente!

ESPORTE: BAHIA JOGA MAL, PERDE PARA O VILA NOVA E SAI VAIADO DA FONTE NOVA


O Bahia recebeu nesta terça-feira (5) a equipe do Vila Nova em partida na Arena Fonte Nova válida pela 15ª rodada da Série B. O duelo era de fundamental importância para que o Tricolor continuasse na briga para voltar ao G-4 da competição. Entretanto, o que se viu em campo foi um time apático, que pouco criou chances para vencer a partida. Perdido em campo e vaiado pelo torcedor que foi ao estádio, o Bahia foi perdeu para o Vila por 1 a 0, com gol do atacante Fabinho.

Em primeiro tempo apagado, o Esquadrão pouco ameaçou o gol do Tigrão. Quem teve a melhor chance foi de Guilherme Teixeira, que cabeceou para uma grande defesa do goleiro Jean. No segundo tempo, o time continuou sem criar chances e ainda perdeu o atacante Hernane, que saiu machucado.
O Vila Nova, que nada tinha a ver com isso, aproveitou vacilo da zaga tricolor e fez o gol. Jean Carlos cruzou e o atacante Fabinho, de apenas 1,63m, subiu livre de marcação e marcou de cabeça. O gol deixou o torcedor do Bahia enfurecido.

A cada erro do time, vaias eram ouvidas das arquibancadas. Os tricolores reclamaram com a diretoria do clube e gritaram "ô, ô, ô, queremos jogador" e "time sem vergonha". Com o resultado, o Bahia segue em 9ª posição, com 20 pontos. O Tricolor terá 10 dias para se preparar para o próximo compromisso, diante do vice-lanterna da competição, o Sampaio Corrêa.

A partida teve transmissão da Rádio Metrópole com a equipe dos Campeões da Bola. Bahia x Vila Nova teve narração de Silvio Mendes, comentários de Elizeu Godoy e reportagens de Marinho Junior e Jota Zô.

Metro1

Os apps que prometem salvar a vida de sua família

  • 2 julho 2016

ThinkstockImage copyrightTHINKSTOCK
Image captionEm caso de um acidente grave, um alerta de um aplicativo no smartphone pode salvar a vida de uma família
Em um acidente de carro a rapidez com que os serviços de emergência chegam ao local pode determinar a sobrevivência das vítimas.
Quando um acidente ocorre em uma área urbana é fácil: testemunhas geralmente chamam uma ambulância.
Mas e no caso de um acidente em área isolada? E se as vítimas estiverem inconscientes?
Uma empresa da África do Sul desenvolveu um aplicativo para lidar com situações assim.
O CrashDetech monitora as viagens dos usuários usando uma função chamada “detecção smart-drive”. Com esta função o app detecta um acidente de carro apenas usando os acelerômetros do próprio smartphone, os sensores presentes no dispositivo para medir a força da gravidade, movimento e, neste caso, impacto.
O app então indica a localização do motorista e aciona a ambulância mais próxima – com paramédicos que sabem o histórico médico do usuário – de forma automática.
“Tempo é o fator decisivo em caso de emergências e atrasos no atendimento médico com frequência são fatais”, diz o presidente da CrashDetech, Jaco Gerrits.
“O CrashDetech detecta automaticamente um acidente de carro grave e imediatamente chama ajuda, transformando seu telefone em um dispositivo que salva vidas.”
Mas, é claro, o aplicativo depende de você estar em uma área onde há sinal forte o suficiente para o seu celular estar conectado à internet ou se tiver wi-fi.
E o CrashDetech também não é totalmente novo. Existem caixas telemáticas para carros que podem fazer o mesmo e a União Europeia planeja introduzir essa tecnologia em carros novos a partir de abril de 2018.
Outro aplicativo também oferece um serviço parecido foi criado no Chile, o SOSmart. Ele envia alertas para uma lista de contatos de emergência elaborada pelo usuário caso detecte um acidente.

Mortes no trânsito

CRASHDETECHImage copyrightCRASHDETECH
Image captionO CrashDetech consegue detectar se você sofreu um acidente e alerta os serviços de emergência
De acordo com a ONU, 1,3 milhão de pessoas morrem por ano no mundo devido a acidentes de trânsito. Até 50 milhões ficam feridas.
O perigo é ainda maior nos países em desenvolvimento, onde ocorrem 90% dos casos. E há a previsão de que as mortes anuais no trânsito aumentem para 1,9 milhão até 2020.
Mauritz Venter, analista da consultoria Frost & Sullivan, afirmou que estes aplicativos de segurança para smartphones estão cada vez mais populares e podem ajudar mais em países onde há grandes problemas de segurança e número alto de acidentes de trânsito.
“Mas também é importante que os recursos relevantes estejam disponíveis para garantir o funcionamento eficiente destas soluções de segurança”, acrescentou.
“Por exemplo: conectividade no celular e também serviços que consigam responder rapidamente aos cenários de emergência relatados através do aplicativo de celular.”

Ou seja: se você sofrer um acidente em um local isolado onde não há sinal de celular ou um bom serviço de ambulâncias, estes aplicativos não são muito úteis.
Mas, apesar das limitações em países com pouca conectividade da rede móvel e sistemas de saúde deficientes, Venter diz acreditar que as companhias de seguro irão começar a incorporar esses apps em seus produtos.

Segurança

Getty ImagesImage copyrightGETTY IMAGES
Image captionO algoritmo do SOSmart usa dados de testes de acidentes de trânsito
Além de detectar acidentes de trânsito, já existem aplicativos para segurança pessoal.
Na Índia, o One Touch Response (OTR) permite que os usuários enviem sinais de alerta para o centro de controle da empresa criadora do app.
A OTR afirma que “equipes de assistência imediata” são acionadas e podem chegar ao assinante em minutos. Dependendo do tipo de incidente, a companhia também entra em contato com os serviços de emergência oficiais.
“Devido à crescente taxa de criminalidade, acidentes de trânsito e emergências médicas em nossas cidades, ter um mecanismo de resposta rápida e profissional é uma necessidade”, afirma Manoj Chandra, presidente da OTR.
“Notamos que contar apenas com as agências de resposta estatais não é o bastante, pois há muitos números (de contato com serviços de emergência) para tipos diferentes de ocorrência. Não se pode esperar que uma pessoa se lembre de tantos números no meio de uma emergência.”
A OTR trabalha com um sistema de um único contato, parecido com o número 911, o número de emergência dos Estados Unidos. Mas o app no entanto é pago, como uma assinatura, e está disponível para os usuários dos sistemas Android, iOS e Windows.

Violência contra mulheres

ONE TOUCH RESPONSEImage copyrightONE TOUCH RESPONSE
Image captionOs serviços de rastreamento de smartphones funcionam bem desde que a pessoa tenha uma boa conexão de internet móvel ou wi-fi
Além do botão “Me Ajude”, o app OTR também tem o serviço “Me Encontre”, que permite que os amigos e famíliares do usuário do aplicativo localizem a pessoa e fiquem sabendo onde ela está no caso de algum atraso inesperado, por exemplo.
O aplicativo apresenta um conceito que se popularizou no mundo todo com apps parecidos como o bSafe, nos Estados Unidos, e o WatchOverMe, na Malásia.
Manoj Chandra diz que seu app tem uma vantagem sobre os outros por ter sua própria equipe de emergência.
“As agências do governo já estão sobrecarregadas devido ao número de chamadas que recebem. Além disso, nem todas as situações são consideradas emergências por essas agências.”
“Muitos apps de segurança foram lançados no mercado mas sem uma equipe de emergência própria, então não são muito úteis”, afirmou Chandra.
A OTR diz ter 50 mil famílias assinantes e um crescente número de empresas entre seus usuários.

Acusado de matar mulher a golpes de machado na Paraíba é preso em Jacobina



A Polícia Civil de Jacobina prendeu, na manhã desta terça-feira (5), por força de mandado de prisão, Júlio Lima da Silva Filho, acusado de homicídio qualificado praticado no estado da Paraíba.

Júlio é acusado de assassinar uma mulher a golpes de machado na Paraíba. Segundo a polícia, ele fugiu com o carro da vítima e era procurado desde a época em que cometeu o crime. Ele passou a viver na cidade de Senhor do Bonfim, porém vinha efetuando saques do seu benefício em um banco em Jacobina para desviar a atenção da polícia.

Em um trabalho conjunto com a equipe de investigação da 16 Coorpin, Júlio foi monitorado e preso na manhã de hoje no centro de Jacobina.

No momento da prisão, o acusado estava utilizando documentos de outra pessoa, e também responderá por este crime. Júlio permanece preso em Jacobina e deve ser encaminhado para a Paraíba, onde responderá pelo crime.
Jacobina Notícias

Juazeiro BA: Homem espancado gravemente no Alto do Cruzeiro


Na madrugada de hoje (04), um homem foi espancado no Alto do Cruzeiro. Mediante as agressões ele teve Politraumatismos no tórax e cabeça. O fato ocorreu as margens da BR em frente ao Alto Peças Bezerra. Ele foi transferido em estado grave para o hospital universitário de Petrolina.

CAMINHÃO CARREGADO COM FRUTAS TOMBA NA BR 407 EM JAGUARARI


Um caminhão, modelo VW 24-250, licença de Petrolina-PE carregado com diversas frutas tombou nesta terça-feira (05/07) por volta das 21h30, no km 101 da BR 407, próximo ao Posto Alvorada, perímetro de Jaguarari.

Segundo o motorista do caminhão, Rodrigo Tenório da Paixão, 27 anos, ele saiu de Petrolina-PE, com destino a CEASA de Simões Filho-BA, quando o pneu dianteiro do lado direito estourou, consequentemente levando o veiculo a tombar, espalhando a carga na rodovia.

Em conversa com a nossa reportagem ele pensou que o mundo iria se acabar no momento do acidente. “Eu vinha subindo quando sentir o caminhão tremer, logo pensei foi o pneu que estourou e aí mandei meus colegas se segurarem e depois virou. Foi Deus nessa hora que não aconteceu nada com a gente”, relatou o condutor.

Juntamente com o condutor, seguia mais dois passageiros que nada sofreram. A Polícia Rodoviária Federal esteve no local registrando a ocorrência e controlando o transito no intuito de evitar outro sinistro.

Portal Jaguarari


Professor da Univasf que denunciou abuso de autoridade em Juazeiro passa de vítima a réu


O professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Nilton Almeida, que denunciou ter recebido um tapa na cara, ser algemado, jogado no camburão e levado à Delegacia durante uma blitz da Polícia Militar da Bahia (PMBA) em Juazeiro, passou de vítima a réu, em um processo aberto pelo Estado contra ele por desobediência, cuja vítima é a cidade de Juazeiro. A audiência de conciliação aconteceu na última terça-feira (29/06), mas não houve acordo porque Nilton teria que reconhecer que desobedeceu a um policial, e assim, pagaria um salário mínimo ou dedicaria horas de trabalho a alguma instituição social.
Segundo informações do advogado que acompanha o caso, Sebastião Maia, trata-se de um procedimento comum nesses casos. É aberto um Termo Circunstanciado (TCO) para distribuir para uma das varas da Justiça e, a partir daí, abre-se um processo criminal.
Fora o fato em si a coisa mais constrangedora foi eu estar na condição de autor. Por mais que se diga que seja uma coisa automática, que seja uma coisa do sistema. É frustrante a maneira como a gente (cidadão) está sendo tratado. Além disso, esse espetáculo de 28 de novembro foi assistido por crianças e vizinhos, então a polícia militar e o governo do estado da Bahia tem que pensar sobre quais são os riscos de se ter uma pessoa com esse tipo de qualificação nas ruas“, questiona Nilton.
No TCO, como relata o professor, o policial alega que Nilton desacatou a guarnição porque estava com um sorriso irônico no rosto. “Eu gostaria de saber em que artigo da Constituição ou do Código Penal, dentro do sistema jurídico brasileiro, está escrito que o sorriso irônico se constitui em crime, primeira coisa. A última coisa que um homem negro faz é rir numa situação dessas. Nós, desde cedo, aprendemos os riscos que corremos, institucionalmente e extra institucionalmente nesse país. A gente não brinca com a vida da gente. A outra é que, desde de novembro de 2014, eu orientava um Trabalho de Conclusão de Curso sobre abordagem policial. Eu conheço abordagem policial tanto do ponto de vista teórico, de como deve acontecer, como eu conheço abordagem policial do ponto de vista prático: como ela realmente acontece todos os dias, principalmente no que diz respeito à população negra, principalmente no que diz respeito a jovens negros”, enfatiza.
O advogado reitera as palavras do professor. “A população negra, pobre, periférica, presume-se que exista um crime sendo cometido. Ele foi parado e já foi revistado, colocada a mão na cabeça. Nesse procedimento a lei exige a fundada suspeita do cometimento do crime. Você está em situação de suspeição. Qual é a suspeita? Porque é negro? Por que é pobre? Por que está numa moto Pop? O direito penal é um sistema de controle social dos pobres, que origina essas excrescências. Um cidadão que está se dirigindo a um tratamento médico, próximo de sua casa e é abordado para ser revistado”, analisa Maia.
O episódio aconteceu em 28 de novembro de 2015, quando Nilton saía de sua casa para fazer uma cirurgia odontológica e foi parado por uma blitz, ainda na rua onde mora. “Eu fui tratado com hostilidade, mas obedeci a cada ordem que me foi dada e, a determinada altura, eu solicitei – já que o policial alegava que o comprovante de pagamento do IPVA de 2015 da moto não estava entre meus documentos–  para ir a minha casa, porque eu estava muito próximo, e disse: ‘Eu moro ali naquela casa, eu posso pedir para minha esposa pegar o documento?’ Aí o policial disse: ‘Você está me desacatando’. Eu perguntei: ‘Eu estou lhe desacatando?’ Ele respondeu: ‘Você está me desacatando’. Eu respondi: ‘eu não estou gritando, eu não estou exaltado, eu não estou alterado.’ Eu não terminei de dizer o dia porque ele me deu um tapa no rosto: Você me deu um tapa?  E ele respondeu: ‘Ele está me desacatando! Algema ele!’. Só quando a minha esposa chegou foi que eu passei a ser tratado como gente“, relata Nilton.
Além disso, o professor questiona o que teria levado o policial a pará-lo e realizar a abordagem, utilizada em caso de suspeita de crime cometido. Nilton afirma que pilotava a baixa velocidade, com a viseira abaixada, estava calçado, e não de sandália, seguindo as normas para pilotar uma moto. “Então, fui parado por quê, se eu não apresentava nenhum comportamento que justificasse tal parada? além disso, quando eu paro já escuto: ‘Mão na cabeça!’ Eu fiz absolutamente tudo que me foi ordenado no dia 28. ‘Pare!’, parei; ‘mão na cabeça!’, coloquei; ‘desça da moto!’ desci“, lembra. Ele contou ainda que já foi parado outras vez em uma blitz em frente à Univasf, e a conduta foi completamente diferente. “Sequer foi necessário que eu descesse da moto, apenas apresentei os documentos e fui liberado”, disse.
Agressão
A abordagem foi realizada por quatro policiais e a agressão teria sido cometida pelo comandante do grupo. “Eu fui algemado e colocado no xadrez do presídio, como chamam a parte do camburão onde são colocados os presos”, afirmouAntes de ser levado, Nilton permaneceu de 10 a 15 minutos algemado na rua, “pra todas as pessoas que passavam pudessem ver”, relata.
Antes de entrar na viatura, Nilton solicitou que olhassem a identidade funcional dele. Além disso, a moto estava identificada com o selo da Univasf. Estava com o licenciamento pago e em nenhum lugar do processo consta que o professor foi multado, apesar de ter sido parado por uma suposta irregularidade em sua moto.
Nilton afirma que o delegado Fábio Conceição ficou surpreso, por um lado, porque achou o procedimento absolutamente desnecessário e excessivo. O professor foi ouvido naquele dia pelo delegado e, no dia 1º de dezembro, fez uma denúncia na Corregedoria da Polícia Militar do Comando Regional Norte. Na semana seguinte formalizou a denúncia junto ao Ministério Público da Bahia (MPBA). A assessoria da Polícia Militar foi procurada por duas vezes, mas não se pronunciou. (com a colaboração de Márcia Guena/para o Blog)

Postagem em destaque

  Bonfinense Karina Tavares já em Brasília representando nossa Região no Programa Sessão Pedagógica no parlamento   Cleber Vieir a ...