sábado, 29 de agosto de 2015

BONFIM: MINISTÉRIO PÚBLICO RECOMENDA SUSPENSÃO DE SERVIÇO NO TRANSPORTE ESCOLAR EM BONFIM POR EMPRESA IRREGULAR

Ilustração

O Ministério Público do Estado da Bahia, por intermédio da 5ª Promotoria de Justiça de Senhor do Bonfim, recomendou ao Município do Senhor do Bonfim a imediata suspensão do contrato administrativo firmado com a empresa Merhy Transportes para a prestação de serviço especializado de transporte escolar dos alunos da rede pública de ensino. Segundo o Promotor de Justiça responsável pelo caso, há um abismo de dimensões imensuráveis entre o constante das normas vigentes e o serviço efetivamente executado pela referida empresa, colocando-se em risco a vida dos alunos, pois os veículos disponibilizados não seguem as regras básicas de segurança e os seus condutores, selecionados há mais de um ano, sequer receberam o curso de especialização exigido pela lei, além de possuírem, muitos deles, histórico de infrações de trânsito graves e gravíssimas. No mês de julho deste ano, o Ministério Público, a Polícia Militar do Estado da Bahia e a 27ª CIRETRAN, em audiência pública realizada na Câmara de Vereadores, inauguraram o programa “Transporte Legal”, que tem por meta averiguar a qualidade do transporte escolar e o cumprimento das regras de trânsito, estabelecendo-se, naquela oportunidade, um cronograma de vistorias para avaliação dos veículos e de seus condutores. Entretanto, depois de cinco dias de vistorias, nenhum dos veículos obteve a autorização para conduzir alunos, sendo que, na última quinta-feira, durante operação conjunta deflagrada pelo MP e pela Polícia Militar, dois ônibus e um micro-ônibus pertencentes à Merhy Transportes foram apreendidos na cidade de Senhor do Bonfim e levados às dependências do CIRETRAN, com aplicação de multa aos seus condutores, por ofensa ao disposto no art. 230, inciso XX, do Código de Trânsito Brasileiro. Ainda na recomendação expedida, o Promotor de Justiça esclarece que a inevitável continuidade das ações fiscalizatórias, se não vier acompanhada de medidas imediatas e urgentes por parte do Município de Senhor do Bonfim, poderá gerar um quadro de caos e total descontrole na educação pública municipal, a ser debitado, única e exclusivamente, à figura dos gestores responsáveis, a quem cabe fiscalizar a fiel execução do contrato. Conforme exposto no documento do MP, a empresa descumpre claramente a lei e os termos do contrato ajustado com o Município de Senhor do Bonfim o qual, por sua vez, tem se omitido em adotar as providências cabíveis, a exemplo da rescisão do pacto e cobrança dos valores pagos de maneira indevida. Por fim, o Promotor de Justiça assinala que a condescendência dos gestores públicos com a discrepância entre o estabelecido no contrato e o verificado na órbita da realidade pode revelar sintomas de possível improbidade administrativa e ensejará, se for o caso, a abertura de investigação autônoma para se aferir eventual desvio de recursos públicos e dano ao erário. O Município de Senhor do Bonfim tem cinco dias para responder se acata a recomendação do Ministério Público.

Missão do MPBA: Defender a sociedade e o regime democrático para garantia da cidadania plena.

5°PJSB

Membro da família aracuã que morava em Senhor do Bonfim foi preso em Sapeaçu


Pedro
A tradicional família criminosa  dos aracuãs, com ramificação em Senhor do Bonfim, especializada em assaltos a bancos e comercialização de maconha, ganhou mais uma baixa durante ação em uma cidade do extremo sul da Bahia.
Com métodos parecidos com os que abordavam em Senhor do Bonfim, um dos membros foi surpreendido pela policia com carro suspeito de furto. Após longa revista, os policiais encontraram grande quantidade de maconha pronta para comercialização e plantio. Os negócios eram realizados em Sapeaçu. Além da maconha, armas e farta munição foram encontradas com o traficante.
Pedro de Sá, o membro da família aracuã, já residiu em Senhor do Bonfim, e tentava expandir os negócios criminosos para o sul do estado.
Pedro-2
Pedro-1
Fonte: Blogdowalterley

Veículo Kadet capota na Av Centenário em Jacobina



 Por volta das 18:50h desta sexta-feira, 28 de agosto de 2015, o condutor de um veículo Kadet perdeu o controle, vindo a capotar na Av Centenário, próximo ao Colégio Felicidade em Jacobina.

O carro ficou destruído, o Samu 192 foi acionado e socorreu José Gonçalves da Silva, 54 anos, para a emergência do Hospital Antônio Teixeira Sobrinho. O vitimando apresentada escoriações pelo corpo e segundo informações, foi socorrido com sinais de embriaguez. 

Por volta das 20h José Gonçalves, conhecido como Galego que reside no Bairro Nazaré assinou termo de responsabilidade e cambaleando deixou o atendimento hospitalar.
Fonte: Augusto Urgente!

Homem confessa ter matado cinco namoradas após supostas traições

Um ambulante de 54 anos foi preso na quarta-feira (26) suspeito de matar a namorada, Sara Lino da Silva, de 27, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, Jesus Pereira das Graças também assassinou mais duas companheiras e mandou matar outras duas em um intervalo de 15 anos. Ele, inclusive, foi condenado e chegou a cumprir pena pelos dois primeiros homicídios. Com ele, a polícia encontrou um papel com os nomes e datas das mortes das vítimas.

Durante a apresentação do suspeito, ocorrida na tarde desta quinta-feira (27) na Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), Jesus preferiu não falar com a imprensa. Porém, de acordo com a delegada Karla Fernandes, responsável pela investigação, ele confessou todos os crimes e alegou tê-los praticado porque havia sido traído pelas mulheres.

"Ele alega que é algo acima do controle dele e que, diante da situação de uma traição, ele tinha um desejo muito grande de repreender a atitude daquela mulher. Ele diz ter consciência de que era errado, mas que o sentimento era mais forte do que ele", afirma Karla.

Segundo as investigações, o ambulante matou Sara por estrangulamento no último dia 8. Após o crime, ele fugiu para a fazenda de um amigo, em Itapuranga, a 160 km da capital. O dono da propriedade foi autuado por favorecimento pessoal.

IDOSO É PRESO COM DROGAS EM MAIRI

Na noite desta sexta-feira, 28 de agosto de 2015, por volta das 20 horas, o idoso Raimundo Ferreira Santana, conhecido como Coroa, foi preso em flagrante com drogas, em sua residência, na cidade de Mairi.
 
A Polícia Militar realizou a prisão através de uma denuncia anônima. O idoso mora na Rua Rui Barbosa, nº 86. Uma menor, também estava na casa. 
 
Com o mesmo, os policiais encontraram 20 pedras de crack, uma agenda de anotações, um cachimbo e material para embalar as drogas.


O idoso foi encaminhado para a delegacia local, ficando preso a disposição da justiça. A menor foi liberada em seguida. Fotos e informações enviadas pela Polícia Militar.
Fonte: Agmarrios 

Irecê – Criança de 8 anos é morta por bala perdida





Duas crianças foram baleadas durante uma tentativa de homicídio na noite desta sexta-feira, 28, por volta das 19h, no bairro Vivendas, em Irecê. Ana Graciele dos Santos, de 8 anos, foi atingida por três disparos e não resistiu aos ferimentos.

A outra criança, um menino de idade não divulgada, também foi baleado e socorrido para um hospital da cidade, onde permanece internado.

Segundo informações de moradores, quatro jovens, entre eles dois irmãos, teriam tentado contra a vida de dois rapazes que haviam ameaçado agredir um dos jovens.

Os quatro passaram a bordo de um carro, efetuaram vários disparos de arma de fogo em direção aos rivais, mas os tiros acabaram atingindo as duas crianças que brincavam na calçada. Ana Graciele brincava com sua boneca na porta de casa.

A polícia foi acionada e conseguiu capturar o grupo pouco tempo depois, ainda em flagrante. O crime causa muita comoção e revolta em Irecê. A criança teria sido alvejada por três disparos, que atingiram o pescoço, cabeça e braço.
Fonte: Jacobina Notícias

Jovem de 21 anos é executado com tiros na cabeça em Paripe

Na noite desta sexta-feira (28), um jovem de apenas 21 anos foi executado no bairro dme Paripe, subúbrio ferroviário de Salvador. De acordo com informações da Central de Polícia (Centel), Samuel Dias de Matos Filho foi morto a tiros na Travessa Irecê, por volta das 18h30.

Ainda de acordo com a polícia, a vítima foi alvejada por três disparos, todos na região da cabeça, mas ainda chegou a ser socorrida para o Hospital do Subúrbio e não resistiu aos ferimentos. A autoria e motivação do crime ainda são desconhecidas. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Divergências entre Dilma e Temer crescem – e eles mal se falam


As divergências entre a presidente Dilma e o vice-presidente Temer são mais profundas do que parecem. Eles alimentam desconfianças mútuas. Um acha que está sendo sabotado pelo outro. Mal se falam
Dilma Rousseff e Michel Temer nunca foram muito próximos. Durante boa parte do primeiro mandato, o grau de consideração da presidente por seu vice podia ser medido pela importância das tarefas que lhe eram delegadas no dia a dia do governo. O vice sempre pairou em Brasília como figura decorativa, encarregado basicamente das agendas internacionais que a presidente não se dispunha a cumprir. Com a popularidade alta, a economia cambaleante mas ainda de pé e sem as revelações demolidoras da Operação Lava-Jato, manter Temer à margem das decisões importantes, mesmo ele carregando a faixa de representante do maior partido do Congresso, o PMDB, nunca chegou a gerar maiores abalos para Dilma. As dificuldades econômicas, as revelações da roubalheira no petrolão e a meteórica queda de popularidade construíram um cenário ideal para uma crise sem precedentes. Em momentos assim, dizem os especialistas, se não houver o mínimo de tranquilidade no Parlamento, o risco de um tsunami atingir o Palácio do Planalto não pode ser minimizado. Há quatro meses, Temer recebeu da presidente autorização para atuar e evitar que isso acontecesse. Obteve sinal verde para negociar cargos, emendas e até projetos em nome da estabilidade. Na semana passada, ele renunciou à tarefa. O motivo: Dilma, de novo, tirou-lhe os poderes.
Diferentemente do primeiro mandato, as relações da presidente e seu vice não podem mais ser definidas nem como apenas protocolares. Dilma acredita que Temer conspira contra ela. Temer acredita que Dilma conspira contra ele. Os dois mal se falavam desde que o vice-presidente concedeu uma surpreendente entrevista em que reconheceu a gravidade da crise instalada no governo e, ao que parecia, desincumbia a presidente da tarefa de conciliadora. "É preciso que alguém tenha a capacidade de reunificar a todos", disse Temer. Dilma não gostou. Os assessores mais próximos da presidente interpretaram o movimento do vice como um aceno pessoal aos setores mais insatisfeitos da sociedade. Ele seria a solução da crise, não ela. A teoria da conspiração ganhou mais um ingrediente quando Dilma tomou conhecimento pela imprensa de encontros de Temer com empresários para discutir a agenda política do país. Na versão de um auxiliar do vice, até uma reunião com o ex-presidente Lula com a bancada do PMDB foi classificada como ação conspiratória. "Era como se existisse um governo Temer e outro governo Dilma", diz um auxiliar palaciano. Aconselhada pelos ministros mais próximos, a presidente mudou de estratégia.
Enquanto Temer se desgastava para reconstruir pontes com a base aliada do Congresso, Dilma tentou cooptar aliados do vice dentro de seu próprio partido, o PMDB. Sem que ele soubesse, ela chamou ao Palácio o líder da bancada do PMDB na Câmara, deputado Leonardo Picciani, e o presidente do diretório do partido no Rio de Janeiro, Jorge Picciani, pai do líder do PMDB, ambos ligados ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Em troca de cargos, Dilma queria que os dois peemedebistas atuassem para tentar frear as hostilidades de Cunha. O problema é que essa era uma das missões de Michel Temer. Também sem avisar, Dilma autorizou Giles Azevedo, seu antigo chefe de gabinete, a negociar diretamente com parlamentares da base a defesa do governo diante de CPIs criadas no Congresso. Para agradar aos parlamentares, Temer prometera liberar 500 milhões de reais em emendas e se comprometera a viabilizar centenas de nomeações para cargos do segundo e terceiro escalão da máquina federal. Dilma não só ignorou solenemente as tratativas que o vice já havia chancelado como passou a refazer pessoalmente os acordos.
AG REUTERS

Família de baiano morto por populares após ser confundido com estuprador tentar superar dor

img-13c2db22e4ba58fbb3bfcd9dbd3f6fc3O provérbio “Nada está tão ruim que não possa piorar” pode até parecer exagerado para muitos, mas não no caso da família da dona de casa Zerlinda Maria da Silva, 64 anos, o seu esposo  Roberto Luís dos Santos, de 57 anos, baiano que se mudou para Mato Grosso em busca de emprego, foi espancado até a morte por populares em um bairro de periferia em Várzea Grande (MT), na Grande Cuiabá, após ser confundido com um estuprador no início do mês.
Quando ele passava pela rua Argentina do bairro Jardim Imperial II, um homem o xingou de estuprador, gritando alto, como informa a Polícia Militar. Porém, em sua ficha não consta acusação de estupro. Em pouco tempo, a vítima foi cercada e espancada a chutes, socos e pontapés. Quando a PM chegou, encontrou-o desfalecido. Encaminhado ao Pronto-Socorro, morreu no box de emergência, não resistindo aos ferimentos.
Sem moradia e renda fixa, Zerlinda não conhece abundância, mas vivia resignadamente até o início desse mês, quando a tragédia bateu à porta de sua casa. Ao lado do marido, seu companheiro por três décadas, estava conformada em ter o dinheiro do aluguel (R$ 200), da luz e da água todos os meses e, claro, comida no prato diariamente. Não que tivesse abandonado o sonho da casa própria.
A renda que mantinha a família, menos de um salário mínimo, vinha dos pequenos e eventuais consertos que o marido fazia em máquinas de lavar roupas no quintal de casa, na periferia de Várzea Grande.
Assistindo ao esforço do marido, ela costumava auxiliá-lo lavando os parafusos e as peças dos eletrodomésticos que chegavam à oficina improvisada.
Mas um sentimento oposto, de revolta, invadiu a mente e o coração da dona de casa “As imagens da cabeça esmagada, o rosto afundado, e braços e pernas quebrados não saem da minha cabeça. Ele estava deformado, irreconhecível. É como se eu estivesse assistindo àquela cena de horror o tempo todo”, desabafa dona Zerlinda.
Roberto não era um homem agressivo ou criminoso procurado, seu único defeito “beber cachaça”. Bebia muito e ficava até dois dias fora de casa, principalmente nos finais de semana.
“É uma grande covardia. O que fizeram com ele não se faz nem com um cachorro”, desabafa. Desde o dia em que viu o marido morto dona Zerlinda não consegue dormir ou se alimentar adequadamente e já perdeu vários quilos.
“Se pego no sono logo salto assustada, como se o corpo dele, deformado e irreconhecível, estivesse ali, na minha frente”, descreve.
Não bastasse o sofrimento da perda, da violência, ela não sabe o que vai ser da vida sem o marido provedor. Não tem conhecimento técnico para fazer o trabalho dele, o próximo aluguel está por vencer e ela está sem dinheiro para as despesas mais elementares.
Tarzan era natural de Itabuna (BA) e conheceu dona Zerlinda em Cuiabá, enquanto caminhava em uma rua no bairro do Porto. Viveram um período em Cuiabá, depois seguiram para Manaus, onde moraram por quase 20 anos.
De volta a Mato Grosso há quatro anos, eles passaram a morar em Várzea Grande. O casal tem dois filhos, Jaqueline, que mora em Manaus, e Jackson, em Várzea Grande.
A família não teve dinheiro para o funeral e teve de recorrer aos serviços da prefeitura para o enterro, tanto para a cova, quanto para o caixão.
*Com informações de LECY ALVES