domingo, 20 de outubro de 2013

ARTIGO: O ADEUS MELANCÓLICO À REDE FERROVIÁRIA FEDERAL EM SENHOR DO BONFIM?


Já se discute a finalidade que poderá ser dada à quase desativada Estação Ferroviária de Senhor do Bonfim, uma estação que esconde em suas paredes e trilhos uma história que ainda não foi contada o suficiente em nossa terra. A Vale do Rio Doce, gerente da FCA, que ganhou a nível federal o direito de explorar econômica e comercialmente a antiga RFFSA, já tomou duas decisões: desativou o ramal Senhor do Bonfim/Juazeiro, que era responsável pelo abastecimento de combustível de cidades do norte da Bahia e de Pernambuco; irá desativar em breve o ramal Senhor do Bonfim/Campo Formoso, e para tanto está a construir um ponto de embarque em Cacimbas, Itiuba, o que isolará de vez Senhor do Bonfim da via férrea, colocará a nossa estação às traças, e desempregará centenas de ferroviários. Tudo isto sob o olhar complacente do governo federal, que vem lavando as mãos quanto à lenta agonia e morte de uma via de comunicação que integrou ampla região do estado e deu vida a inúmeras cidades e povoados.
Profeticamente, já nos queixávamos deste quadro anos atrás, em nosso livro “Notícias e Saudades de Vila Nova da Rainha, aliás Senhor do Bonfim”, às páginas 160 e seguintes:

“A análise do processo de estruturação recente da economia de Bonfim nos permite inferir que a substituição progressiva do transporte ferroviário pelo transporte rodoviário, resultou numa perda de importância econômica do município, no contexto da região, dada à flexibilidade do transporte rodoviário. Este modal de transporte facilita o escoamento de cargas em menor volume e quantidade, reduzindo o papel exercido por Senhor do Bonfim de centro atacadista de fracionamento e redistribuição de mercadorias para a região.

No que concerne à importância da linha férrea para o desenvolvimento da região é importante destacar que o município de Bonfim possui boa parte do seu território cortado pela ferrovia, hoje utilizado para fins de transporte de minério de ferro e derivados de petróleo.

Sublinhe-se que após a privatização da RFFSA – Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima, a linha férrea que corta o território baiano passou a ser operada pela FCA- Ferrovia Centro Atlântica, controlada pela Cia Vale do Rio Doce. Destaque-se ainda que a malha ferroviária do estado da Bahia é composta por 1.597 Km de ferrovia e transporta hoje apenas 4% das mercadorias produzidas ou que chegam ao Estado, em função da falta de investimento no setor.

A falta de investimentos na recuperação e modernização da malha ferroviária, tem provocado uma utilização excessiva do transporte rodoviário, como principal alternativa para o escoamento de cargas, o que explica, em parte, as condições de precariedade em que se encontra a malha rodoviária no Estado da Bahia, submetida a um fluxo intenso de veículos pesados. Através do transporte rodoviário, são escoadas no território baiano, cargas pesadas como: materiais de construção; minérios; petroquímicos, etc. Tal quadro se constitui num importante gargalo na infraestrutura logística para a integração competitiva do Estado da Bahia junto às demais regiões.

No caso da microrregião de Senhor do Bonfim, interligada às outras regiões através da BR 407 - rodovia federal, este cenário tem dificultado sua integração econômica com as demais regiões produtoras do Estado, já que a malha rodoviária que serve à região encontra-se, já há alguns anos, em estado bastante precário.

Desta forma a reativação da malha ferroviária para fins de transporte de passageiros e outros tipos de cargas, favoreceria a uma maior integração e articulação da economia regional tornando mais barato e eficiente o fluxo de mercadorias e pessoas na região. O Município de Senhor do Bonfim, por sua localização geográfica privilegiada e sua condição de importante entreposto comercial da microrregião, seria enormemente beneficiado por esta medida, fortalecendo suas relações econômicas e comerciais com os demais municípios localizados na região.

Destaque-se que o Governo do Estado da Bahia sinalizou através dos seus documentos oficiais – Planejamento Estratégico e PPA – Plano Plurianual de Investimentos, que iria priorizar os investimentos públicos a serem realizados no quadriênio 2004-2007 na melhoria da provisão de infraestrutura logística, visando fortalecer o potencial competitivo da economia estadual, ampliando e integrando as regiões produtoras do Estado.

Desta forma, o município de Senhor do Bonfim poderia liderar um processo, junto com as demais lideranças políticas, empresariais e da sociedade civil da microrregião, para sensibilizar as demais instâncias governamentais - Estadual e Federal, para a importância de reativar a linha férrea , com o objetivo de alvancancar as potencialidades econômicas da região. Tal investimento poderia ser viabilizado através das PPP’s – parcerias público privadas, dada à situação de asfixia fiscal em que se encontra o Estado brasileiro.”

Diante desta situação preocupante, não podemos silenciar. Vamos nos unir, protestar, e fazer chegar ao Governo Federal e ao Governo Estadual o que está ocorrendo, exigindo o cumprimento de promessas em relação à reativação da nossa Rede Ferroviária.


ASSINE A PETIÇÃO PÚBLICA: DIGA "NÃO" AO DESMONTE DA REDE FERROVIÁRIA DE SENHOR DO BONFIM E NORTE DA BAHIA: ASSINE A PETIÇÃO PÚBLICA
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2013N44918