quinta-feira, 28 de junho de 2012

Simões Filho, na Bahia, tem maior taxa de homicídios do país


O município de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, com 118 mil habitantes, tem a maior taxa de homicídios do país. São 146, 4 mortes por cem mil habitantes. Metade dos crimes tem relação com o tráfico de drogas, segundo a polícia. O delegado da cidade Antônio Fernando Soares diz que os confrontos também envolvem criminosos de Salvador. “As lideranças de lá estão vindo para cá e disputando território com os traficantes daqui, e aí se resulta em embates e, infelizmente, em homicídios”, afirma. Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, o alto índice de homicídios registrados em Simões Filho ocorre porque o município é a principal área de “desova” de crimes praticados em toda região metropolitana de Salvador. Apenas 22 quilômetros separa Simões Filho da capital pela BR-324, a mais movimentada rodovia da Bahia, e por duas estradas estaduais. Algumas vítimas só aparecem depois de semanas ou até meses. Elas são achadas em locais de “desova” às margens das estradas. Só de março até junho, 27 corpos foram encontrados em áreas de mata nativa próximas à cidade. A polícia diz que pelo menos quatro grupos disputam os pontos de venda de drogas em Simões Filho. Em um dos bairros mais perigosos, onde os traficantes impõem uma rotina de medo, os moradores se escondem e evitam conversa. Até mesmo quem não vive nesses bairros prefere não se expor quando o assunto é a violência. Assaltado duas vezes perto de casa, um rapaz que prefere não se identificar diz que não sai mais à noite. “Até para ir numa pizzaria a gente procura ir em torno de 17h, 17h30 para estar voltando cedo para casa porque a violência cresceu desordenadamente”, aponta. “Está bastante ruim, muito tiro, muito assalto, está um inferno, na verdade, um inferno”, relata outra moradora. (G1/BA)

TIA E SOBRINHO DETIDOS POR POSSE OU PORTE DE 45 BANANAS DE DINAMITE EM GEL EM BONFIM


Investigadores da Polícia Civil de Bonfim, sob o comando do Delegado Coordenador da 19ª Coorpin, Dr. Felipe Nery, conduziram e autuaram em flagrante a senhora Maria Aparecida Andrade Silva, 42 anos, (Cida), vendedora, residente a Rua José Pacheco – Gamboa, e seu sobrinho Uallison dos Santos Andrade, 22 anos, estudante de medicina na Bolívia, e estaria passando férias em Salvador e os festejos juninos em Bonfim. De acordo com informações policiais, um investigador teria se passado por pedrista e estaria interessado em comprar os explosivos, sendo que ao mesmo tempo a polícia vinha acompanhando de perto o jovem Uallison, quando por volta das 18h00min dessa quarta-feira (27), ele foi detido com as 45 bananas de dinamites em gel, de acordo com a polícia a senhora CIDA, guardava os explosivos embaixo da cama de um cômodo em sua casa na José Pacheco, e que os explosivos eram oriundos da cidade de Serrinha, onde a senhora Cida tem outra residência, e aqui na cidade de Bonfim estaria usando o sobrinho para negociar os explosivos. Em depoimento à Delegada Drª. Magda Roberta, Uallison teria dito que iria receber R$ 400,00, para vender os artefatos. Em conversa com Dr. Felipe Nery, “o artigo 16 do estatuto do desarmamento diz que a pena vai de três a seis anos de reclusão, portanto só afiançável em juízo” disse o Coordenador. Tia e sobrinho encontram-se detidos à disposição da Justiça, na Delegacia Territorial de Bonfim, autuados por porte ou posse de arma de fogo de uso restrito, os explosivos serão encaminhados para Salvador. Material: 45 dinamites em gel 20 espoletas e dois longos fios de cordel. Maravilha Notícias Postado por Neto Maravilha DRT-BA 6928 em 28.6.12 marcadores policial

Postagem em destaque

Ossada é achada e polícia apura se é de funcionária pública sumida em Jaguarari; preso, agricultor disse ter ateado fogo ao corpo ...